Ads Top

Resenha: 1808

Créditos da imagem: http://www.thetrashion.com/

"Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil"

"Abandonado a própria sorte, Portugal viveria os piores anos de sua história. Nos sete anos seguintes mais de meio milhão de portugueses fugiriam do país, pereceriam de fome ou tombariam nos campos de batalhas numa sequência de confrontos que se tornaria conhecida como a Guerra Peninsular."

"Em lugar da ameaça e da coerção, no entanto, o dom João que chegou ao Brasil em 1808 usaria para governar outro atributo fortíssimo da monarquia: o da imagem do rei benigno, que tudo provê e de todos cuida e protege."

A obra 1808 (e suas sequências 1822 e 1889) deveriam ser leituras obrigatórias para todo e qualquer brasileiro. O livro expõe um panorama da história brasileira desde a chegada da corte portuguesa ao país e os 13 anos subsequentes em que a família real residiu no Brasil.

Não deixando de fazer uma breve introdução sobre o que acontecia em Portugal para que essa decisão de vir para o Brasil, nem tão as pressas quanto acreditávamos, fosse tomada é assim que a obra começa: narrando a fuga dos portugueses das tropas de Napoleão que já havia tomado grande parte da Europa, toda a corte portuguesa e alguns seguidores fiéis vieram parar na colônia.

O jornalista Laurentino Gomes relaciona vários documentos históricos para sustentar sua pesquisa exposta na obra 1808. Na versão digital essas referências estão linkadas às suas respectivas fontes. Em linguagem de fácil compreensão ele narra 30 capítulos sobre a história do até então, Brasil colônia, desde os reis que enlouqueceram na época d. Maria I de Portugal e George III da Inglaterra, passando pelo seu arquivista real, Luiz Joaquim dos Santos Marrocos, por detalhes sobre finanças, a escravidão da época até costumes da época.

Sem embelezar os fatos, a narrativa histórica nos permite compreender alguns aspectos do Brasil colônia e de como sua população vivia, como destacam os trecho a seguir:

"A rede de dormir, também herdada dos índios e às vezes chamada de 'rede de carijó', era usada pela maioria da população até o séc. XIX, quando foi finalmente suplantada pela cama."

"Era uma população analfabeta, pobre e carente de tudo. Na cidade de São Paulo de 1818, já no governo de dom João VI, apenas 2,5% dos homens livres em idade escolar eram alfabetizados."

Conta também sobre a desordem que foi chegar tantos portugueses nas naus que vieram ao Brasil sem ter onde instalá-los, o que gerou medidas drásticas que prejudicaram a população que já vivia aqui, como relata o trecho a seguir:

"Mais complicado foi encontrar habitação para os milhares de acompanhantes da corte, recém-chegados à cidade que ainda era relativamente pequena, com apenas 60 mil habitantes. Por ordem do conde dos Arcos, criou-se o famigerado sistema de 'aposentadorias', pelo qual as casas eram requisitadas para uso da nobreza. Os endereços escolhidos eram marcados na porta com as letras PR, iniciais de Príncipe Regente, que imediatamente a população começou a interpretar como 'Ponha-se na rua'."

Além de exaltar alguns fatos sobre o período de escravidão que o Brasil colônia sustentou:

"Entre os séculos XVI e XIX, cerca de 10 milhões de escravos africanos foram vendidos para as Américas. O Brasil, maior importador do continente, recebeu quase 40% desse total, algo entre 3,6 e 4 milhões de cativos, segundo a estimativa aceita pela maioria dos pesquisadores."

"Uma curiosidade é que muitos alforriados chegavam a enriquecer e se tornavam proprietários de escravos, terras e outros bens."

Narra também por outro lado, um Portugal abandonado,  governada pelo marechal irlandês
William Carr Beresford, e a revolução começada no Porto em 1820, que provocou o retorno da
Família Real a Portugal.

1808 não se trata de um romance de época, mas sim de um livro histórico, com teor informativo e acadêmico, porém com a leitura leve como a de um romance, apesar do grande número de dados adquiridos durante a leitura, o que pode deixá-la mais lenta. Após a leitura desta obra, a visão do Brasil de hoje que o leitor tinha com certeza sofrerá algumas alterações, afinal, diante dessa narrativa histórica torna-se muito mais fácil compreender o que e porque o Brasil é o que é hoje.

Ficha técnica:
Título: 1808
Autor: Laurentino Gomes
Páginas: 416
Ano: 2009
Editora: Planeta do Brasil



6 comentários:

  1. Esse livro parece ser muito interessante, fiquei curiosa para ler ele.

    Beijos:*
    Escritas na Chuva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A leitura é bem fácil e o conteúdo do livro é maravilhoso.

      Excluir
  2. Eu sempre quis ler esse livro mas acabei deixando pra depois. Gostei da resenha, me trouxe a velha vontade *-* Quem sabe esse ano!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te digo que vale muito a pena dar uma chance pra ele, também demorei alguns anos e quando comecei a ler me arrependi de ter esperado tanto.

      Excluir
  3. Confesso que essa resenha me deixou bastante curiosa pela leitura do livro. História com leitura obrigatória sim! Amei e já quero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu enrolei muito essa leitura mas hoje super indico pra todo mundo <3

      Excluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.