Ads Top

E quando deixa de ser só paixão?



No inicio eu pensei que fosse apenas uma paixão visceral, de rasgar nosso coração ao meio, que nos deixa desnorteado. Daquelas paixões que nos consome por inteiro, mas, que com o tempo vai perdendo a intensidade. Vai deixando de ter brilho. O encanto vai acabando, a convivência vai se tornando cada vez mais difícil e a razão volta a falar mais alto que a emoção.  Aquela cegueira inicial já consegue enxergar os defeitos, as mania, e começamos a repensar os planos; e quando caímos em si, tudo já virou passado.

Uma pagina virada. Às vezes até rasgada, amassada e jogada na primeira lata de lixo destampada.

Mas lá se vão alguns meses de entrega, e a intensidade só faz aumentar. A cada dia renova-se o encanto. O brilho nem sempre é latente, mas ainda atinge ápices de horário nobre. 

Já cheguei naquele estágio que não existe mais cegueira, naquele estagio onde os defeitos e as manias já fazem parte da convivência, e ainda assim continuo a fazer planos pra nós. 

Quando a paixão, o amor e a amizade passam a viver lado a lado; deixa de ser efêmero e visceral, e passa há ser sublime e eterno. Por isso me joguei por inteiro nessa história, sem medos, e sem receios. 

“Eu assumo que estou com os pés e a cabeça mergulhados nesse amor.” 

Talvez eu esteja equivocado, e seja apenas uma paixão mais duradoura que logo irá passar, como todas as outras. 
Mas enquanto não passa, vou deixando às coisas como estão. Pois acredito que amor próprio também é respeitar nosso coração, é sofrer um pouco com ele. Tem horas que é preciso deixar o orgulho de lado e ligar, mandar uma mensagem, dizer que está com saudade e que sente falta. Pode ter certeza, o amor por maior que seja, também cansa, também desgasta, também cai na real. No fundo, no fundo cada um de nós sabe o momento de desistir, bater a porta e não olhar pra trás. 

E eu sinto que ainda não é a hora certa de largar a corda. Enquanto me faz bem ama-la, me faz bem vê-la sorrir, e todas suas complicações continuam a me encantar, vou continuar à esticar essa corda.


"Ou ela se quebra de vez, ou se faz de varal pro nosso amor."


Nenhum comentário:

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.