Ads Top

A nossa Perda



Engraçado como o tempo muda a gente, sim, muda mesmo.
As velhas quinquilharias, com importância exaltada, hoje, não valem mais do que 5 segundos da nossa atenção, do nosso olhar e cuidado.
Tem aqueles que chamariam isto de maturidade.
Discordo, chamo de perda. Uma enorme perda. Perda de nós mesmos.
De uma parte, tão importante, nossa.
E não é algo regenerável ou que possua concerto.

Confesso, sinto falta de ver o mundo através de um olhar inocente, de flutuar sobre os diversos caminhos que a imaginação proporcionava, de crer que tudo, TUDO mesmo, é possível.

Hoje, estes sentimentos deram lugar a outros.
Mas o lugar deles ainda permanece ali.
Nada os ocupa completamente.
Sempre existirá parte de mim que acredita que podemos ser o que quisermos, onde quisermos, e se, quisermos. Mesmo que a vida diga o contrário. Mesmo que as coisas continuam sendo o que são. 
E a gente continue sendo o que é, ou melhor, o que nos tornamos.

O segredo é manter aquela esperança - que não contamos para ninguém que existe, de que a nossa vida será feito enredo de novela - vívida.
É bom fechar os olhos e querer ser, deixar ser.
É bom acreditar em algo maior, crer que a vida é feita de poesia e canção.
Ser inocente. Ser fiel a criança que fomos, e fazer valer o adulto que ela sonhava que nos tornaríamos.


6 comentários:

  1. Que texto lindo, crescer tem lá suas desvantagens, mas com o passar do tempo conquistamos mais força para sermos quem quisermos ser. Beijos
    Charme-se

    ResponderExcluir
  2. Estava pensando sobre isso esses dias. Esse ano eu faço 18 anos e tô com dificuldade para aceitar isso, podemos dizer que tô com síndrome do Peter Pan. Para mim por um lado é bom, ver o quanto evolui, mas por outro... É como você mesma disse no texto, é uma perda. Eu tenho esperança de ser um pouco criança e nunca vou deixar que a vida adulta, as responsabilidades, o trabalho, mate a criança que está dentro de mim.
    Blog da Vicky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vic, o importante é não deixar a criança morrer dentro de si, assim a vida sempre se tornará mais leve. <3

      Excluir
  3. Linda reflexão! Às vezes vejo meu filho brincando e imaginando coisas, e fico me perguntando por que quando a gente crescer, a gente perde essa simplicidade, essa criatividade e passa a ter medo de agir, de se preocupar com o que os outros pensam..acho que temos muito o que aprender com as crianças, viu. Como você disse e eu concordo plenamente, "Sempre existirá parte de mim que acredita que podemos ser o que quisermos, onde quisermos, e se, quisermos."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! <3 Concordo com cada palavra tua, as crianças são portais em nossas vidas, sempre nos fazendo pensar em quem nos tornamos e que ainda podemos nos tornar.

      Excluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.