Ads Top

A Vida é Passageira



Te digo, meus olhos já não são mais os mesmos, o tom da minha voz já não ecoa mais em tantas salas. Minha fala simplória, hoje se perde em meio a tantos floreios procurando uma maneira de dizer meias verdades.

Já tenho idade o suficiente para declamar todos os palavrões possíveis quando o mindinho encontra a quina de uma estante qualquer, contudo, o joelho ralado já não é mais meu problema.

O colo acolhedor dos meus pais já não está lá quando as lágrimas correm e não existe mertiolate que cure os esporros que a vida dá.

Quando a gente é criança, contamos os segundos para crescer, e finalmente, quando crescemos, crianças queremos voltar a ser. 

Somos metamorfose, somos caos. Passamos cada fase de nossas vidas querendo pular para próxima, para depois, tarde demais, querermos voltar.

Somos falhos, pecamos por precaução, preocupação e ansiedade. Afinal, haja ansiolítico depois dos 20. A vida cobra um bom emprego, um bom salário, a graduação tem que ser pra ontem. Sem contar o namorado, a casa para qual vamos no mudar, a família que está por vir, e quantos filhos serão mesmo?

Te digo, estamos perdidos. Perdidos em meio ao um futuro ao qual não sabemos se vai nos pertencer. Estamos perdidos em meio a tantas expectativas criadas por nós e pelos outros. 

Não sabemos mais viver o agora.

O que os outros não nos contam é que a vida é hoje. E essas sagradas 24h, as quais ao menos 6h passamos dormindo, é a única chance que temos, e é o que pode nos salvar dessa monotonia de um futuro pré-programado.

A vida é passageira demais para não olharmos para os lados e enxergar o outro, a alegria do outro a dor do outro. Assim, como é muito curta demais para não apreciarmos o amanhecer enquanto saímos para trabalhar ou a pintura em que o céu se transforma ao entardecer.

Se piscarmos neste instante, a vida passa, em algum lugar uma criança nasce e alguém está a partir. 
E se fecharmos os olhos por tempo demais, já é amanhã, e o ontem já se foi, não nos pertence mais. Foram horas perdidas e não há nada que possamos fazer para recuperar.

Deixamos os ansiolíticos de lado, as máscaras para atrás e vamos viver o que nos pertence agora, a dor, a alegria, a lágrima, o gesto e o jeito. Vamos ser o que queremos ser hoje. 
O amanhã?  Não sei. A vida é passageira, a vida é o agora.


9 comentários:

  1. Que.Texto.Maravilhoso. que leitura incrível, sei nem o que dizer, uau <3

    ResponderExcluir
  2. Quanto talento, hein? Me identifiquei em cada linha, principalmente quando você fala que quando crescemos queremos voltar a ser crianças. Me lembra de mais uma frase do Lewis Carroll, no livro Alice Através do Espelho: "Somos só crianças crescidas, querida. Inquietas até que o sono nos dê guarida".

    https://itiskimby.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico feliz que se identificou, a intenção é essa, um cantinho para nós mesmos nos encontrarmos e dividir esse turbilhão de coisas que acontece em nossas vidas <3

      Excluir
    2. Obrigada! Fico feliz que se identificou, a intenção é essa, um cantinho para nós mesmos nos encontrarmos e dividir esse turbilhão de coisas que acontece em nossas vidas <3

      Excluir

  3. Nos normalmente focamos em querer crescer, que no futuro tudo será melhor e de repente quando olhamos para trás percebemos que a felicidade estava na nossa mão e nem percebemos
    Achei lindo o seu texto.

    Bjs

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
  4. "Quando a gente é criança, contamos os segundos para crescer, e finalmente, quando crescemos, crianças queremos voltar a ser.". Resumiu um pensamento que eu estava tendo esses dias. Seria interessante que todos tivessem noção do quanto a vida é curta e do quanto a gente PRECISA urgentemente cultivar apenas coisas boas. Sonhamos muito com o futuro e pecamos em agir certo no presente.

    Juhlihipy

    ResponderExcluir
  5. Penso assim!
    Quero viver o agora.
    Chega das cobranças que a sociedade e a família nos faz e me dei por conta disso logo quando era criança, quando neguei a festa de quinze anos... Apresentar a sociedade disse minha mãe e eu muito espertinho pros 12 anos que tinha disse: que sociedade? Todo mundo que vai já me conhece! Não quero!!!!
    E é assim que tem que ser, fazer o que TU quer fazer, assim é que a vida vale a pena!

    Beijos e lindo texto!!!

    ResponderExcluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.