Ads Top

Qual a durabilidade do amor?

Qual a durabilidade do amor? Blog de textos, comportamento, vida a dois e resenhas literárias.


Em uma lembrança distante, acreditei amar, viver daquele sentimento pela pessoa que seria a eterna lembrança e hoje não recordo nem do seu nome. Depois, vieram as paixões relâmpagos, em um olhar no ônibus ou um esbarro na rua. Todos ficaram nos seus respectivos lugares. 

Hoje, sei que amo na veracidade de todos os sentimentos maduros e que buscam o aconchego na paz da vida em poesia. Preciso de versos, de momentos e de razões ao lado de quem dedico e deixo expor a alma. Ao expor, fico fragilizado, pois poucos tem esse ato de heroísmo com suicida. Não são capazes de cometer esse ato poético e humano, da mesma forma que conseguem despir seus corpos. 

Fico nu, sem qualquer proteção ou vergonha, pelo simples fato de acreditar e reescrever a minha história com a amada. 

E depois de tantos rodeios, chego ao ponto que não deveria ter saído. Qual a durabilidade do amor?

A primeira vez que a vi, parecia que estava diante de uma raridade que nem os deuses poderiam explicar, que nem os mais otimistas poderiam acreditar. E eu realmente estava diante dessa raridade. Uma conexão se expandia em nossos sorrisos, a presença inundava a calmaria, o olhar ia além da alma. Todo esse encontro, nunca pôde ser descrito em sua totalidade.

Foi algo tão intenso, que na distância do cotidiano, me pegava relembrando os seus sorrisos, ensaiando as juras de amor e direcionando um filme dos momentos que almejava ser a realidade no ontem, no hoje e no sempre. O tempo foi maestro das minhas escolhas, definiu as rugas do sentir ao ponto de envelhecer, mas o tempo não penetrou o verídico. 

E foi assim, não me deparei com a reciprocidade, continuo sonhando com a tal e qual o preço de almejar o que parece estar tão distante? O preço é imensurável. E não me falta argumentos para justificar todo esse tempo e esse amor que não deixa a chama virar fagulha. 

Conseguiram compreender? O amor não tem durabilidade e não precisa ser recíproco. O amor é unânime, é a pureza do mundo e se um dia acreditar que acabou e que outros virão, sinto dizer, mas o seu sentimento tinha outro nome, a ilusão. Na vida, só encontramos um amor, os outros serão paixões, atrações ou o que queira nomear.  

E durabilidade? Amor não se encontra em qualquer prateleira. 

Imagem: Weheartit 

Texto de Luís de Oliveira, enviado via imbox no facebook para a página do Entre Cartas e Amores.

Um comentário:

  1. Muito bom o texto, porém eu tenho outra visão sobre amor acontecer apenas uma vez.


    Beijos,
    Blog Gaby DahmerFanpageInstagramTwitter

    ResponderExcluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.
UA-80596339-1