Ads Top

Sou a dor que provoco

Sou a dor que provoco


Parei para pensar e me peguei pensando em um vazio. Sabe aquele vazio que cabe tanto? Cabe tanto que comprime os pulmões e preenche o peito em outro vazio, desta vez, aromatizado de solidão. 

E eu sofro. Sofro por sofrer ou por aceitar o sofrimento por pessoas que não conhecem o meu eu, por algumas migalhas e talvez até por alguém que nem sei quem é. Na maioria das dores que sentimos atribuímos a alguém, mas talvez, nós mesmos que provocamos isso. 

Só vivemos condições se nos permitimos viver. Então, ao contrário dos versos anteriores, eu não sofro por quem não me conhece, por quem não me ama, pela moça que vi uma única vez na rua e me apaixonei, por ser ignorado, pelos rótulos. 

Eu sou a dor que provoco.

Provoco ao aceitar os rótulos e o desprezo. Ao aceitar o olhar frio de quem fui (ou sou) apaixonado. Ao aceitar ser capturado por uma essência que não me pertence. Rótulos não cabem em mim e o desprezo, já não provoca lágrimas. 

Ah, os desacertos amores, evaporam entre tantas possibilidades de construir um novo dia. E o vazio que iniciei o meu desabafo, ele vira poesia. 

Vira poesia por seu meu, por ser a alma se desfazendo pra ser. Pra ser quem ninguém enxergou, pra ser ela, pra ser sentimentos, pra ser própria sem necessitar de se fantasiar de mendiga. 

Muitos procuram migalhas e hoje eu procuro me enxergar. Do mesmo modo que sou a dor que provoco, eu sou a força que me faz vencer e certamente, o motivo que me fará sorrir.

Texto de Luís de Oliveira, enviado via imbox no facebook para a página do Entre Cartas e Amores.

2 comentários:

  1. Que texto mais sensacional! Temos a mania de colocar a culpa nos outros pela nossa dor, mas a verdade é que cabe a nós mesmos assumir as rédeas da nossa vida e fazer alguma coisa quanto à situações que nos incomodam, nos fazem mal, nos deixam para baixo. O rótulo, a indiferença ou seja qual for o sentimento que o outro nos atribui só nos afeta se deixarmos.

    "Do mesmo modo que sou a dor que provoco, eu sou a força que me faz vencer e certamente, o motivo que me fará sorrir." Juro que quase chorei lendo essa frase! (Sou um pouco emotiva.)

    ResponderExcluir
  2. Que texto incrível, o Luís está de parabéns.

    E é bem isso mesmo que acontece, como dizem, somos os vilões da nossa própria história.


    Beijos,
    Blog Gaby DahmerFanpageInstagramTwitter

    ResponderExcluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.