Ads Top

Desfaz o nó

Desfaz o nó


Se as nossas vidas eram uma só
Por que a gente deixou de se entender?

Você puxou forte demais
E soltou a corda bruscamente
Como num cabo de guerra
Eu caí do nada e de repente.

Não vai embora,
Volta e pega essa corda também.
Se amarra em mim
Porque eu não me amarro em mais ninguém.

Os esfolados das quedas
A gente pode resolver.
Não precisa de muito remédio.
É aquilo: basta querer.

Eu não posso te impedir de sair andando,
Mas te aviso que soltar não é vitória.
Você sempre vai carregar essa corda contigo,

Uma coisa eu concordo contigo
Eu cansei de andar em corda-bamba
Cansei de puxar disputas
Vai pular comigo ou vai brincar sozinho em qualquer canto?

E se você prefere mesmo deixar de lado,
Fingir que não tem conserto,
Que não há jeito de resolver o nó,
Você leva junto a derrota do nosso "nós".

Desfaz o nó e amarra firme comigo.
Andar solto nesse mundo doido é só perigo,
Às vezes até é castigo.

Segurando a corda eu não te deixo se perder.



2 comentários:

  1. Que poema mais fofinho, adorei.
    E é bem assim, desistir sem lutar, sem se esforçar pra melhorar, não é vitória. Mas lutar demais e ver que não tem concerto e, mesmo assim, persistir, aí é derrota já. Complicado, rs.


    Beijos,
    Blog Gaby DahmerFanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Gaby!

      Li alguns posts do seu blog e adorei também.
      Beijos!

      Excluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.