Ads Top

Sobre o pálido ponto azul e amor



Você entende a sua complexidade?

Se nos reduzirmos, somos um incontável número de átomos agrupados, não muito diferente de tudo que nos cerca. Compartilharmos semelhanças atômicas com pedras, árvores e compostos majoritariamente de água.  Eu e você, 60% insípidos, inodoros e incolores. Eu, você e o universo somos átomos e espaço vazio. O átomo é 99,999% (sim!) espaço vazio, some isso a distância entre estrelas e planetas, o universo é um grande átomo como aqueles que fazem de você... você. 

Poderíamos ser separados por aquilo que nos compõe em cima de uma pequena mesa: alguns galões de água, punhados de minerais, etc. etc. Se separado por elementos químicos, dois terços de seu corpo seria apenas oxigênio, como o que te rodeia agora, invisível a olho nu. Ainda assim, organizados da forma correta, estamos aqui, vivos, com tato, olfato, paladar, audição e visão. Não sabemos porquê e, talvez, nunca descobriremos.

Não se preocupe se algo não faz sentido, porque afinal, nada faz sentido se olhado de perto.  Mesmo assim, minúsculos se em comparação com o resto do universo, temos algo que não pode ser encontrado em nenhum outro lugar além do pálido ponto azul flutuando por este sistema solar: amor. Se não existe sentido para nada, para que então você se preocupa com outra coisa além de ser feliz e amar? Das poucas certezas que eu tenho nessa vida é que se estamos aqui, é para sermos felizes e amar.

Felicidade pode ser qualquer coisa, pode vir de qualquer lugar e de diferentes formas. Pode ser conseguir o que você tanto deseja, podem ser 30 minutos em frente a televisão assistindo aquela comédia clichê. Já o amor, é mais raro. Eu não falo de amor por coisas inanimadas. Falo de amor entre nós, seres vivos. Entre duas pessoas, independente de sexo, cor, raça ou credo. Porque, no fim, isso não importa, afinal, somos todos feitos do mesmo material e com o mesmo dom da vida.

Então, por que se mesmo nunca tendo parado para olhar por esta ótica, mas tendo consciência de tudo isso um ser vivo viria a trair outro ser vivo? Destruiria em seu coração o bem mais precioso que ele possui? O que não pode ser encontrado facilmente, comprado e criado artificialmente. Iludir, fingir amor é o mais baixo que alguém pode agir. O mais cruel que alguém pode ser. Quando se trai e se ilude, se joga no lixo tudo aquilo que nos diferencia de pedras, da água e de tudo aquilo que não tem vida. Então, por favor, não nos reduza ao espaço vazio que somos. Não nos torne novamente o nada que um dia fomos. Ame de verdade.







4 comentários:

  1. Eu já fiz essa pergunta diversas vezes ao meu consciente e a única resposta que consigo chegar é: nao estamos atentos. Nao estamos atentos ao que nos rodeia, às pessoas, o sentimentos, à energia... estamos ocupados com outras coisas e nao temos tempo de olhar ao nosso redor. Assim que eu comecei a ser mais atenta: comigo mesma, com a natureza, com a pessoa que está comigo. Tudo muda quando você está atento :)

    ResponderExcluir
  2. Oiie! Amei seu texto, parabens!! Eu adotei bastante esse pensamento, de fazer o que me dá felicidade. :) Isso me permitiu me entregar por inteiro em tudo!

    ResponderExcluir
  3. Amar é a melhor coisa que podemos fazer nessa nossa existência efêmera. Acho que estamos aqui vivos exatamente pra isso.

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  4. Sem o amor somos uma miseráveis não tem nada além disso,sem o amor não somos humanos,é incompreensível como as pessoas escolhem odiar,enganar e manipular ao invés de amar.

    https://euhumanaefinita.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.