Ads Top

Não me peça para ficar



Eu vou aparecer na sua porta de madrugada e ir embora antes de você levantar. Vou evitar olhar nos seus olhos e fugir das suas tentativas de jogar conversa fora. Vou me esquivar do seu corpo quente no meio da noite procurando o meu pra me abraçar. Vou fugir dos seus carinhos e manter minhas mãos longes do seu cabelo cacheado, pra evitar qualquer deslize.

Vou sair sem me despedir, sem deixar qualquer bilhete e sem lhe acordar. Vou me esquecer de ligar na manhã seguinte e perguntar se você dormiu bem, nem vou lembrar de mandar mensagem no fim do dia perguntando se tá tudo bem. Vou fazer questão de fingir que esqueci as pequenas demonstrações de carinhos da noite passada.

Eu vou ficar sempre na marginal da sua vida, andando pelas beiradas com medo que você me convide pra entrar. 

Não me peça para ficar. Eu não saberia recusar, mas seria egoísmo demais aceitar. 

Porque não importa o quanto eu ame o seu cheiro no meu casaco me acompanhando o dia inteiro, a memória dos seus olhos sorrindo pra mim e o gosto dos seus lábios nos meus, você merece alguém que eu não posso ser. Você merece um amor que eu sei que jamais vou ser capaz de lhe dar. 

Não mergulho em você porque sei que além de me afogar, levo você junto. 

Então eu fujo, o máximo que posso. Tento me afastar e quando não consigo, faço você mesma se afastar. Um covarde tanto pra ficar, quanto pra sair. Não entro e não vou embora, sempre na porta, sempre na beirada. Sempre esperando você me mandar embora, enquanto torço pra que não me peça pra ficar, afinal, eu não poderia recusar.




Nenhum comentário:

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.