Ads Top

Não sei mais qual é o gosto que a sua boca tem



Você saiu e deixou, atrás de você e das suas palavras frias, a porta aberta naquela noite. Desde então nunca mais a fechei, esperando que você retornasse para mim, para nós. Só que os dias passaram, as noites passaram e você não voltou, não passou pela frente espiar, não mandou um postal que seja dizendo por onde anda.

Lhe esperei. Esperei por noites seguidas mal dormidas agarrada no celular porque tinha medo de pegar no sono e perder a sua mensagem, aquela em que você diria que foi loucura, que estávamos bem, que você estava voltando pra nossa casa. Aquela que jamais chegou. Agora por essa mesma porta já passaram tantos beijos, perfumes e desculpas que já nem me lembro direito dos seus.

Não sei mais qual é o gosto que a sua boca tem. Não me lembro direito do som da sua voz, da sua risada que por tantas noites ecoou por todas essas paredes. Não tenho certeza se o seu perfume é o amadeirado naquele ursinho em cima da cama ou o doce no meu casaco vermelho. Talvez não seja nenhum.

Talvez as tentativas de lhe apagar daqui tenham funcionado, e nenhum cheiro, gosto ou vestígio existente aqui seja seu mais. Talvez nem as lembranças tão saudosistas que insistem em aparecer toda vez que deito minha cabeça no travesseiro, não importa quem esteja deitado no travesseiro ao lado, sejam verdadeiras a essa altura, talvez sejam apenas uma utopia que construí sozinha acreditando que me protegeria de qualquer novo amor que pudesse por ventura aparecer. 

Colei peças e mais peças em mim, pedaços de amores que se apresentaram e eu fiz questão de fingir que não podia ouvir, desculpas de outros que vieram uma vez e nunca mais voltaram, na esperança de me fazer inteira novamente após a sua partida. Não sei dizer se funcionou ou se simplesmente me perdi no processo. Se sou uma nova versão minha ou se sou um amontoado de pedaços que não conversam entre si, ainda esperando que você volte para organizá-los, para colocar tudo no lugar. Esperando que você volte pra me mostrar mais uma vez os gostos, cores e perfumes da vida ao seu lado. 



Nenhum comentário:

Entre Cartas e Amores - Blog de textos, comportamento, amores e resenhas literárias. Conta pra gente o que você achou ♥

Tecnologia do Blogger.